Quando pensamos em emagrecimento rápido, logo nos vem à cabeça cortar carboidratos. Mas será que essa é uma boa decisão mesmo?

A verdade é que as dietas que excluem ou reduzem drasticamente esses nutrientes estão na moda e prometem resultados incríveis.

Porém, como nem tudo são flores, elas podem prejudicar o organismo e trazer uma série de efeitos colaterais. Quer saber quais são eles?

Então, continue a leitura e confira 5 motivos para não cortar carboidratos da sua dieta!

1. Os carboidratos são o combustível do cérebro

A glicose é obtida por meio da ingestão de carboidratos. Quando você interrompe o consumo, as células do cérebro podem até morrer.

Isso, porque ela é a principal fonte de energia para todo o corpo. Na falta dela, o organismo transforma a gordura em combustível para suprir a demanda.

No entanto, os neurônios têm preferência pela glicose e desencadeiam uma série de reações para avisar que está precisando dela, como dores de cabeça, fraqueza e enjoo.

2. Os resultados são iguais em longo prazo

Não há como negar que as dietas que privam os carboidratos proporcionam uma redução rápida de peso e queima de gordura corporal.

Porém, ela entra no efeito platô mais rápido também. Ou seja: o emagrecimento trava em menos tempo que a reeducação alimentar, por exemplo.

Dessa maneira, a vantagem dela no início diminui e, em longo prazo, a perda de peso se equivale entre os dois planos alimentares.

3. Os sintomas são desagradáveis

Ao começar uma dieta de baixo carboidrato, é comum ter sintomas desagradáveis que podem ser intolerados por muitas pessoas.

Além dos que já falamos que são causados pela falta de glicose no cérebro, temos:

  • dificuldade de concentração;
  • boca amarga;
  • tontura;
  • mau hálito;
  • mau humor;
  • mau funcionamento do intestino.

4. O efeito sanfona é quase certo

O que vem fácil vai embora mais fácil ainda. Esse ditado também se aplica numa alimentação de poucos carboidratos.

Sabe quando a pessoa emagrece e engorda constantemente? Esse é o efeito sanfona que causa medo em tanta gente.

As dietas radicais favorecem a compulsão alimentar, que é quando o indivíduo come alimentos calóricos muito além da saciedade.

Assim, fica difícil retornar à dieta. É aí que muita gente volta a engordar o que tinha emagrecido, e até mais!

5. A adaptação é mais difícil

A alimentação habitual do brasileiro inclui muitas fontes de carboidratos, como arroz, pães, massas e batatas.

Retirar esses itens do cardápio pode ser um tanto quanto difícil. Por isso, a desistência nas dietas de baixo carboidrato é maior.

Além do mais, muitos adeptos se privam também do convívio social, já que é complicado comer fora de casa.

Um recado importante: para se submeter a esse tipo de restrição, é indispensável ter a prescrição e o acompanhamento de um nutricionista, ok?

Por tudo isso, podemos dizer que cortar carboidratos da dieta não é uma boa ideia, principalmente se a intenção é ter um emagrecimento duradouro e sem efeitos colaterais.

Gostou deste post? E que tal saber das nossas novidades em tempo real? Curta a nossa página no Facebook e veja tudo diretamente na sua timeline!

Escrito por Academia Nadarte