O treino de ombros é fundamental para fins estéticos e para questões funcionais físicas do praticante de musculação.

A articulação dos ombros é muito presente no cotidiano, e é comum encontrarmos pessoas que relatam dor ou algum tipo de incômodo nessa área.

Por isso, é essencial saber como treinar essa musculatura corretamente para garantir os melhores resultados e a integridade articular dessa região corporal.

No post de hoje, daremos 4 dicas essenciais para que você realize seu treino livre de queixas e da melhor maneira possível para alcançar resultados!

1. Combine os exercícios corretamente

É imprescindível praticar a musculação corretamente, isso inclui não só a boa execução dos movimentos, como também a prescrição adequada dos exercícios.

Por via de regra, fica difícil indicar uma série ou prescrever qualquer programa sem a avaliação funcional do praticante, que deve ser feita por um profissional.

Saiba que a ênfase exacerbada em uma das três cabeças do deltoide (músculo da região do ombro) pode causar dores, desvios posturais ou outros problemas físicos.

Na dúvida, faça um exercício para cada região (anterior, medial e posterior), ou exercícios mais completos com grande recrutamento de fibras de todo o grupamento muscular.

O desenvolvimento com halteres, por exemplo, é uma das melhores opções para desenvolver a região.

2. Faça a amplitude completa do movimento

A qualidade do seu treinamento depende quase que exclusivamente da sua capacidade de execução dos movimentos propostos.

E, quando falamos da qualidade de execução, estamos nos referindo em grande parte à amplitude — que nada mais é que o arco do movimento.

Movimentos mais longos recrutam mais fibras musculares, garantem mais saúde às suas articulações, maior intensidade e, consequentemente, melhores resultados.

Em contrapartida, movimentos curtos podem colocar em risco seus ganhos musculares e, principalmente, seu bem-estar.

Assim como a prescrição de exercícios, é praticamente impossível realizar uma análise sem observação.

Portanto, pergunte ao seu professor!

Em geral, utilizar muito peso é um dos principais fatores que levam os praticantes a terem um arco de movimento menor do que o desejado.

Tenha em mente que treinos mais intensos são aqueles com amplitude de movimento completa.

3. Não exagere na carga utilizada nos exercícios

Você não precisa de grandes cargas para conseguir resultados na musculação!

Pegar muito peso é excelente para o ego e, muitas vezes, prazeroso para aqueles que desejam mais intensidade e ganhos musculares.

Todavia, a utilização equivocada da carga pode literalmente “destruir” seus ombros. 

A elevação lateral com halteres muito pesados, por exemplo, pode causar tendinopatia do tendão supraespinhal, o que traz dor, limitação do movimento, entre outros problemas.

Ao persistir no erro ou na execução equivocada desse ou de outro movimento, podem acontecer lesões ainda piores — como o rompimento do manguito rotador.

Isso não significa que é impossível levantar cargas mais elevadas, mas priorize a segurança do exercício e respeite a sua capacidade atual.

4. Não insista em exercícios que causam dores 

No seu treino de ombros, evite exercícios desconfortáveis. Dores agudas costumam indicar que alguma coisa não está “funcionando” como deveria. 

Saber diferenciar a dor muscular do treinamento — que, inclusive, é esperada e desejada por muitos — de uma dor nociva é essencial para sua saúde.

Normalmente, a “dor ruim” é debilitante, muito intensa e rapidamente limita seu movimento. 

É diferente da dor muscular causada pelo acúmulo de ácido lático. Esta é “gradual” e se parece com uma “queimação” da região.

Preste atenção a esses sintomas, siga as nossas dicas e consulte um profissional de educação física para garantir um treino de ombros seguro e efetivo.

Que tal seguir a gente nas redes sociais para acompanhar todas as nossas publicações? Estamos no Facebook e no Instagram!

Escrito por Academia Nadarte